segunda-feira, 24 de março de 2008

SELECÇÃO NATURAL NUNCA VISTA, SURPREENDE CIENTISTAS


As luas-azuis (Hypolimnas bolina), espécie de borboleta do Pacífico, teve a população de machos quase extintos, na Ilha de Savai.
Uma bactéria transmitida pela progenitora, matava os machos, a ponto da relação normal 50/50 entre os géneros, ter sido altamente desequilibrada. Esta bactéria (Wolbachia), matava praticamente todos os machos na fase embrionária e deixava só fêmeas na espécie, chegando a haver 99% de fêmeas contra só 1% de machos de acordo com o estudo realizado. Ainda no decorrer de 2006, foi feita uma nova observação alguns meses depois, e puderam constatar que a relação fêmeas/machos passou para 60/40. Pensa-se que a reviravolta nos números pode ter sido provocada por um supressor de genes desenvolvido pela espécie como forma de sobrevivência, uma selecção natural feita num só ano!. Um pequeníssimo grupo de borboletas do sexo masculino passou a ser resistente ao microrganismo e levou ao restabelecimento do equilíbrio da população.
Se assim for, esta é a mais rápida alteração evolutiva de uma espécie de que alguma vez se teve conhecimento, "Nunca houve uma tão rápida evolução numa espécie", disseram, esta semana, os professores da Universidade de Berkeley, Califórnia, que as estudaram em 2006.

1 comentário:

Butterkiko disse...

Gostei! E foi mesmo uma grande mudança de população!

E... então já há Monarcas a voar no borboletário ou Papilios Machaons???